Follow by Email

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Exposição e livro revelam os Filhos do Vento



Projeto da Fundação Gilberto Salvador estreia hoje (6) em Brotas de Macaúbas e daqui vai para o Teatro Castro Alves em Salvador



A Fundação Gilberto Salvador (FGS) inaugura nesta segunda-feira, 6, a exposição Filhos do Vento, lançando livro com o mesmo título e que registram o cotidiano das pessoas que vivem no entorno do primeiro Parque Eólico da Bahia - Lagoa de Dentro, Sumidouro, Perdidos, Cocal, Papagaio, Mangabeira e outras comunidades antigas e tradicionais de Brotas de Macaúbas. A mostra será aberta às 15h no salão de eventos do Colégio Municipal Nossa Senhora de Brotas (Praça da Cultura)

Resultado de um registro de 90 fotografias em preto e branco, a publicação é um trabalho do fotógrafo Fabio Cabral, um especialista na arte de fotografar modelos e atrizes, com três livros publicados e um vasto repertório de ensaios, exposições e prêmios.  Tem o patrocínio de Desenvix, Alstom e BNP Paribas, com apoio do Governo da Bahia, prefeituras municipais de Brotas de Macaúbas, Seabra e Novo Horizonte, e acontece graças ainda ao incentivo da Lei Rouanet do Ministério da Cultura.

O projeto Filhos do Vento inclui, a pedido da FGS, trabalhos da artista plástica Beth Kok responsável pela criação de uma série de desenhos digitais que traduzem a passagem do vento em um espaço onírico, repleto de cores, traços e figuras que parecem “voar” em um plano imaterial. Os desenhos foram reunidos num catálogo, intitulado “Filhos do Vento – Uma viagem imaginária”, que também será lançado em Brotas de Macaúbas.

Coroando os lançamentos do livro e do catálogo, a Fundação preparou uma exposição com 20 fotografias de Fábio Cabral e 12 digigravuras de Beth Kok, que irão permanecer em Brotas de Macaúbas até o dia 18. Daqui, partem direto para o Teatro Castro Alves, em Salvador, onde poderão ser apreciadas de 22 de agosto a 1º de setembro. Livro e catálogo serão lançados também na capital baiana, durante o vernissage da exposição.

O PARQUE EÓLICO

Brotas de Macaúbas tem o solo rico em cristal de rocha, quartzito, amianto, cobre, barita, diamante, ferro, manganês, mármore, e ouro. Mas é do ar que vem a esperança de dias melhores para os seus pouco mais de 12 mil habitantes, que vivem no chamado “polígono da seca”, onde a chuva não ultrapassa os 800 mm/ ano e a agricultura familiar ainda é a principal fonte de renda da população.

Graças à intensidade dos seus ventos, que sopra a média de 25 quilômetros por hora, a cidade foi escolhida para abrigar o primeiro parque eólico da Bahia. Os primeiros aerogeradores entraram em operação no início do mês de julho de 2012, produzindo energia elétrica de fonte limpa e sustentável. Para os moradores, as torres gigantes representam um sopro de desenvolvimento e progresso.

Sobre Fábio Cabral

Nascido no Rio de Janeiro em 1958, cresceu em São Paulo, onde estudou Ciências Biomédicas e fez pós-graduação em Saúde Pública na USP. Decidiu-se pela profissão de fotógrafo em 1982. Desde então, atende editoras e agências de propaganda do Brasil e exterior, fotografando moda, retratos, arquitetura, design reportagens e produções publicitárias, comerciais e artistas. É autor dos livros Anjos Proibidos (1991), Some Women (1998), SLZ 48h (2002). Desde 1997 atua como diretor de fotografia de filmes publicitários, curtas e longas metragens, tendo sido premiado em Cannes e no Festival de Cinema Publicitário em Nova York (1998). Atualmente, desenvolve trabalhos entre seus estúdios de São Paulo e Florianópolis e em países da Europa, África e América Latina.

Sobre Beth Kok

Paulista, é arquiteta formada pela FAU-USP, designer gráfica e ganhadora do prêmio Jabuti 2005 pelo projeto e produção gráfica do livro Terra Paulista, do CENPEC. É ainda co-autora da coleção O Leitor de Imagens e do projeto artebr, para o Instituto Arte na Escola. Na área ambiental, é co-autora do projeto Roda D´Agua para a OAK – Educação e Meio Ambiente. Criadora do projeto gráfico, ilustrações e edições do Concurso Causos do Eca/Fundação Telefónica durante sete anos. Ilustradora para Cia das Letrinhas, IBEP Nacional e outras. Desenha desde pequena, com formação em Artes pela Fundação Armando Álvares Penteado – FAAP e The Arts Institute of Chicago, entre outros ateliers em São Paulo. Realizou exposições individuais e coletivas no Museu Lasar Segall, Museu da Imagem e do Som (MIS), Museu de Arte Contemporânea (MAC) e Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP), todos em São Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário