Follow by Email

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Apresentação do Auto obtém grande sucesso






Teatro e cultura para o povo enchem a Praça da Matriz em Brotas de Macaúbas nos 50 anos do Monsenhor João



Para um público de mais de mil pessoas concentradas na Praça da Matriz, o Grupo Cultural Cayam-Bola estreou no último sábado (3), com grande sucesso, O Auto de Nossa Senhora de Brotas. A apresentação marcou os 50 anos de vida sacerdotal do Monsenhor João Cristiano e foi aplaudida em cena aberta por várias vezes pelos presentes que se emocionaram com a história da fundação da cidade de Brotas de Macaúbas, na Chapada Diamantina, a partir do milagre atribuído a Nossa Senhora no Boqueirão.

A montagem, que foi assistida por delegações vindas de todas as paróquias da Diocese da Barra, utilizou recursos de teatro, canto e dança, fazendo um passeio pela cultura popular e religiosa. A Burrinha deu o tom de graça ao espetáculo que trouxe ainda índias, cantadores e repentistas, além da encenação da aparição do Anjo Gabriel a Maria.

A peça lembrou a Festa do Divino com o menino imperador e resgatou personagens históricos e culturais, lembrando, inclusive, do tradicional Hino da Cidade em sua letra original da professora Cotinha (a música é de Manoel Barbosa campos)



IMAGINÁRIO POPULAR

Entre esses personagens destacados no texto, quase todo em cordel, estão Lalu e sua mulher Catarina, ainda presentes no imaginário de todas as gerações de Brotas de Macaúbas, à exceção dos mais jovens. Eles foram figuras emblemáticas da cultura popular brotense, ao Lado de Zé Raimundo e Zé Bento, encarnando a alegria negra principalmente durante as festas de final de ano, quando desfilavam os reisados pelas ruas da cidade e também nas comunidades da zona rural.

Foi a partir das lembranças de infância que o jornalista, poeta e escritor Rosalvo Martin Júnior teve a idéia de juntar um pouco da memória da folia de Reis com outros elementos culturais, como a Festa do Divino e os bailes pastoris para montar O Auto de Nossa Senhora de Brotas, espetáculo com a junção de teatro, dança, música e folclore.

A apresentação do Auto marcou as comemorações pelos 50 anos de ordenação sacerdotal do monsenhor João Cristiano, um holandês que escolheu esta cidade da Chapada Diamantina, há mais de 40 anos, para desenvolver um trabalho de destaque, com a criação de escolas e a implantação das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), que promove muita gente, especialmente aquelas mais humildes.


APOIOS

A montagem do Auto também marcou a criação do Grupo Cultural Cayam-Bola e teve o patrocínio exclusivo da Pousada Vovó Terezinha, além de importantes apoios, a exemplo da Prefeitura Municipal, da primeira dama Eliene Ferro, do empresário Edilson Campos, além de filhos da terra como Dilton Aécio Oliveira, Deodato Alcântara e o bloco Psiu Psiu, Miguel Ribeiro, Cristina Sodré, Joelita Viana, Wanderley Rosa Matos, Zélia Donato, Dr. Carlos Martins Lopes e muitos outros.

TERNO DE REIS

O Auto de Nossa Senhora de Brotas contou com a participação de 17 atores mostrando a miscigenação do nosso povo através da mistura de raças: dos índios nativos aos brancos portugueses colonizadores e os negros trazidos para o trabalho escravo. O texto mostra que “foi da junção desses povos que surgiu a alma brotense”.

O Grupo Cayam-Bola prepara agora a apresentação do Terno de Reis Catarina Balaio de Fulo, entre os dias 22 de dezembro e 5 de janeiro. O projeto, já em execução, busca os patrocinadores e apoiadores para que o reisado saia às ruas com toda pompa e circunstância, resgatando uma tradição que vem se perdendo no tempo por falta de incentivo.


FICHA TÉCNICA

Direção e produção  e pesquisa – Rosalvo Martins Júnior

Sonoplastia – Belk Saldanha

Figurinos – Luciana Rodrigues

Maquiagem – Elenice Araújo

Alegoria – Elenice Araújo

Cenário – Rosalvo Júnior

ELENCO

Francisco Barbosa, Marcos Roberto e Rosalvo Júnior (jograis)

Tchica Sodré (Diabo)

Marcos Roberto (Burrinha)

Milena Sodré  (Catarina)

Amanda Campos (Catita)

Rosângela Novais e Nayara Carla (índias)

William Novais (Imperador)

Michel Roque (Lalu)

Rafael Novaes (Pai)

Ivone Alcântara (Mãe)

Késia Hellen (Menina)

Maria Paula (Anjo)

Dayane Novais (Maria)

Alekênia Barbosa (Isabel)

Marcos Manchinha (José)









2 comentários:

  1. Parabén Rosalvo a você e todos os participantes deste mágnifico trabalho , que nos traz recordações benfazejas, de nossa cultura e nosso folclore relembrando a festa de reis que estava esquecida, e que muitos dos jovens que estavam presentes não tiveram o privilégio de conhecer e participar só uma pessoa com a sua generosidade e amor a essa terra que nos brinda com esses momentos de alegria e porque não dizer confraternização em um momento de divisão que vivemos atualmente. Continue amigo com esse entusiasmo e essa alegria contagiante que só pessoas ilumiadas tem parabéns mais uma vez.

    ResponderExcluir
  2. O que vemos nesta postagem é um deleite para nós. Todo o descaso vivido pelo nosso município durante muitas décadas, não foi e nunca será motivo para desanimarmos, pois sempre surgirão pessoas e/ou grupos de pessoas que, com talento e carinho, traz e resgata a riqueza cultural que faz parte do nosso povo, da nossa história. Parabéns ao conterrâneo jornalista Rosalvo pelo blog e pelo “Auto de Nossa Senhora”, à equipe de atores e a todos que fizeram essa peça teatral tornar uma realidade. Parabéns também ao homenageado, padre João Cristiano, que sempre foi um dos protagonistas na construção de uma sociedade digna para o nosso povo brotense.

    ResponderExcluir