Follow by Email

sábado, 16 de junho de 2012

Ouricuri já vive as emoções do centenário










Terra do ouro prepara-se para celebrar 100 anos no dia da festa do padroeiro, São Pedro



Fogueiras, quadrilhas, muito forró, cavalgada, missa procissão, nova praça e até casamento coletivo são algumas atrações do centenário da Vila de Ouricuri de Ouro, de 20 a 29 deste mês. Deodato Alcântara e Nélia Paixão são os festeiros da festa que tem Jilvan rosa como capitão do mastro. No dia 23 as tradições juninas serão revividas com a escolha da Rainha do Milho.
A programação festiva começa dia 24 pela manhã com a Cavalgada, seguindo-se a feijoada comunitária e o Forró do Psiu Psiu com a banda Banda do Velho Chico que promete muito forró pé de sera e animação. A cavalgada vai envolver outras comunidades circunvizinhas e o trajeto inclui Santana do Ouro, Barreirinho e Lagoa Nova, além do Oricuri onde haverá a bênção de cavaleiros e amazonas.
Nos dias 25 e 26 haverá leilões e torneios esportivos. E no dia 27 a apresentação das bandas Chapada e Estrela de Prata. No dia 28, após a Fincada do Mastro, celebração religiosa e leilões, a festa na praça terá como atrações a dupla Ronaldo & Rangel e o som de Tyago Rybeiro que promete sacudir a galera.
O dia 29, dedicado ao padroeiro, São Pedro, será marcado pelas celebrações religiosas, com destaque para a missa festiva, às 9h. Vale destavar a presença do bispa da Barra, Dom Luiz Cappio que celebrará no dia 26 às 19h, além de dois religiosos filhos do Oricuri – padra Ivan Paixão, dia 25 às 19h30 e padre Denis, dia 27 (mesmo horário).


HISTÓRICO

A Vila de Ouricuri do Ouro surgiu com a chegada de oito famílias portuguesas à região, ficando estabelecidos no lugar dois casais: Pedro Messias e a esposa Maria Messias e Renovato José Antonio com a esposa Possidônia. Logo na chegada, observando a vegetação da época, com muitas palmeiras, deram o nome de Fazenda Licuri ao local onde se estabeleceram. A finalidade era expandir na região a agricultura, com o plantio de milho, feijão, mamona, sendo prioritária a plantação de fumo, além da pecuária.
Do primeiro casal, nasceu Joana Rosa, filha única que casou-se com o coronel José Antônio da Paixão, filho do segundo casal, tornando-se chamar, Joana Rosa da Paixão. O coronel, conhecido carinhosamente como “dindinho Zereco”, recebeu este título durante as lutas do coronel Horácio de Matos no combate aos chamados  “revoltosos”, entre os anos de 1924 a 32. Naqueles anos de guerra, ele abrigava a população nas fazendas Quixaba, Humaitá e Baixinha, protegendo as famílias de represálias da parte do inimigo.
Da união do coronel José Antonio da Paixão e Joana Rosa da Paixão nasceram 12 filhos: Joaquim, João, Valeriano, Severo, Leonora, Jesuína, Ana, Virgilina, Maria, Josefa, Maria da Conceição e Lauriana. Com o crescimento da família, as poucas habitações passaram a ter características de comunidade e assim Joana Rosa da Paixão, por causa de sua devoção católica, organizou a construção de uma capela juntamente, com a finalidade de celebrar missas, reunir em orações, batizar seus filhos e netos e receber todos os sacramentos católicos.
Exatamente há 100 anos, em junho de 1912 a matriarca Joana Rosa da Paixão escolheu São Pedro e Nossa Senhora da Imaculada Conceição como padroeiros, fundando a comunidade de Ouricuri e que mais tarde passou a ser chamada de Ouricuri do Ouro, por causa da riqueza do preciso metal, além de pedras preciosas, encontradas na região.
Os festejos em louvor a São Pedro surgiram com a necessidade da manutenção da igreja, nascendo aí, ao lado das celebrações religiosas, as festas musicadas com sanfonas, pandeiros e violas. Com a morte da pioneira Joana, em 4 de maio de 1940, as famílias ouricurirenses assumiram o comando das comemorações que se mantêm vivas até os dias de hoje.



FILHOS ILUSTRES

Em Ouricuri do Ouro muitos são os nome de destaque. A começar por Severo Rosa da Paixão, comerciante, casado com Cornélia Rosa da Paixão, com quem teve 12 filhos. Líder da comunidade, cidadão idealista, honesto e religioso, dedicou sua vida e seu trabalho ao desenvolvimento de sua terra natal, ao lado de sua esposa. Severo foi o responsável pela organização e animação da comunidade, sendo eleito vereador por 20 anos, presidente da Câmara e candidato a prefeito, não se elegendo por pequena diferença de votos.

A atuação de Severo o fez conseguir inúmeros benefícios para a comunidade, a exemplo do Mercado Municipal, Cemitério, Açude da aguada, Grupo Escolar que foi construído e inaugurado dia 7 de setembro de 1954 , tendo como regente a professora Joana Rosa da Paixão Silva, filha de Severo, catequista e primeira professora, formada em 1949 pelo Educandário Santa Eufrásia na Cidade da Barra.

Ela foi a responsável pela organização de teatro, festas escolares, serenatas, coro da igreja. Assim esta outra Joana  foi a professora das professoras de todos os que estudaram na região, até a sua saída para São Paulo, passando a liderança para Elisete Rosa da Paixão (in memoria), Regina Rosa da Paixão e Marivete Rosa da Paixão que permanece na comunidade até hoje, ensinando, cuidando, animando, inspirando.

A educação na Vila de Ouricuri do Ouro teve início com as professoras Urânia, Morena e Nanoca, todas de Brotas de Macaúbas, contando com a participação de professores leigos da Comunidade, como Marim Ribeiro, Arlinda Rosa Ribeiro, Elenita Neto da Paixão dentre outros. Destacam-se ainda Aurelice Rosa da Silva, Neranita Xavier de Oliveira Paixão, Maria do Carmo Rosa da Paixão, Maristela Rosa da Silva, Nelito Rosa dos Santos, Joelma Cristiane Rosa de Araujo Paixão, Dinalma da Paixão Ramos, Roberto Carlos, Maria do Rosário Rosa da Paixão; Manoelita Alcantara Oliveira, Elenita Neto dos Santos, Margarete Neto da Paixão e os professores em exercício: Marinado Avelino Pereira, João Rodrigues e Lindanita Aureliana Leite.

Na área política, além de Severo Rosa da Paixão, foram eleitos vereadores Osório Neto dos Santos (in memoria), Jaime José da Silva (In memoria), Osmar Ribeiro Neto, Albana Ribeiro Alcântara, Zenilton Ribeiro Alcântara e Deodato Alcântara de Oliveira. Os dois últimos pai e filho também foram eleitos vice-prefeitos, abrindo caminho para o atual vice, Ailton Ribeiro Alcântara.

Na formação religiosa há os padres Denis Oldaque da Paixão Silva e Ivan Rodrigues da Paixão, filhos de conterrâneos.

ÊXODO RURAL

Durante muitos anos, as atividades da vila limitavam-se quase que exclusivamente à agricultura de subsistência e isso provocou um alto índice de êxodo rural. Encravada na Chapada Diamantina, a Vila de Ouricuri do Ouro encontra-se distante da sede de Brotas de Macaúbas 32 Km e da capital 600 Km. Limita-se a norte com Santa Maria, Lagoa Nova e Barrinha; ao Sul Brejo da Fazenda, Lagoa do Capim e Morro Redondo; a leste Santa Cruz e São Frutuoso e a oeste Fazenda Quixaba.



Ouricuri. Terra de Ouro
De Rosalvo Martins Jr em homenagem ao centenário deste belo lugar

De uma palmeira
Nasceu o teu nome
Belo Ouricuri,
Berço de grandes homens
De mulheres generosas
vem a tua glória e heroismo
Do esplendor do teu Santo Padroeiro
A tua fé, teu misticismo.

Ouricuri terra do ouro

De gente boa, maior tesouro

Terra do empreendedorismo

Onde as mulheres de negócio
Nascidas embaixo da velha gameleira
Criaram geração de sucesso grandioso
Figuras de vulto e de honra
Nasceram em teu seio generoso

E se o Paixão do sobrenome
Nos eleva às grandes paixões
Torrão natal e berço de heróis!
Aqui celebramos nesse rincão

Ouricuri terra do ouro
De gente boa, maior tesouro

Assim como o teu solo
Brotou o ouro abundante
Em campos sagrados o labor
Bebem o orvalho das mãos de Deus
Teus filhos esses herois que a edificam
Vivem em ti crenças e amor

Aos teus filhos que partiram
Em busca de novo amanhã
E aos que ficaram na lida
Em ambos coragem e bravura
Guardando tuas tradições


São 100 anos de história
De coragem e nenhum medo
Celebrando o padroeiro
Primeiro Papa, São Pedro
Ouricuri reza e agradece
Dorme tarde e acorda cedo
Terra de homens honrados
Antônio Neto, Zereco e Severo
Muitos outros geradores de um povo
Gente simples, honesta e bela
Todos presentes nesta festa
De alegrias e quimeras

Ouricuri terra do ouro
De gente boa, maior tesouro

Um comentário:

  1. parabéns Rosalvo e obrigada pela homenagem a minha terra natal, aos meus familiares e conterrâneos.
    abraços.

    ResponderExcluir